Bombas de Insulina

O Centro de Diabetes de Belo Horizonte – CDBH é centro de referência no tratamento de diabetes, com equipe multidisciplinar experiente na implantação, monitoramento e ajuste de bombas de insulina.

O que são as bombas de insulina?
Bombas de insulina são dispositivos eletrônicos pequenos e portáteis que fornecem insulina de ação rápida de forma contínua através de um pequeno tubo e de uma cânula (conhecido como conjunto de infusão) colocada sob a pele.

Infusão de insulina
A insulina rápida é administrada basicamente de duas maneiras. Uma infusão é realizada de forma contínua, por 24 horas, para controlar a glicemia entre as refeições e durante o sono. Essa programação é chamada de insulina basal.

No momento das refeições, devido a elevação da glicemia após consumo especialmente de carboidratos, é necessário administrar dose adicional de insulina, também chamada de bolus alimentar.

Qual dose administrar?
A taxa de infusão basal de insulina varia entre os pacientes e ao longo do dia. A definição de dose será feita pelo médico, baseada na idade, alvo glicêmico, sensibilidade, comportamento da glicemia avaliado pelo monitoramento glicêmico, etc.

A quantidade de insulina nas refeições idealmente será baseada na quantidade de carboidratos contada pelo paciente e na relação insulina-carboidrato orientada pelo médico.

Preciso continuar monitorando a glicemia?
Mesmo com a utilização de uma bomba de insulina, você ainda precisa checar seus níveis de glicose ao longo do dia. Para realizar os ajustes de doses e observar a resposta do paciente é necessário conhecer o comportamento da glicemia.

O que são e quais os insumos necessários?
Os insumos são materiais complementares ao dispositivo eletrônico e necessários para o funcionamento completo das bombas de insulina e para a realização do tratamento adequado. Eles precisam ser trocados de forma regular conforme orientação do fabricante e do médico. Os materiais são: pilhas, cânula, cateter, ampola de insulina, reservatório, lancetas, fitas reativas, glicosímetro, sensor de glicose.

Quem pode usar?
Pessoas de qualquer idade com o diabetes de Tipo 1 podem fazer uso da terapia com a bomba de insulina, desde que tenham indicação pelo médico, tratamento intensivo, treinamento e adaptação com a bomba de insulina.

Atualmente se considera que as indicações para o uso da bomba de infusão de insulina são:

  • Dificuldade para normalizar a glicemia, apesar de monitoramento intensivo e controle inadequado da glicemia, com grandes oscilações glicêmicas.
  • Ocorrência do fenômeno do alvorecer (dawn phenomenon).
  • Pacientes com hipoglicemias noturnas frequentes e intensas.
  • Indivíduos propensos à cetose.
  • Hipoglicemias assintomáticas.
  • Gravidez e/ou mulheres com diabetes que planejam engravidar, sobretudo aquelas que não alcançaram controle metabólico adequado.
  • Grandes variações da rotina diária.
  • Adolescentes com transtornos alimentares.
  • Pacientes com dificuldade para manter esquemas de múltiplas aplicações ao dia.
  • Desejo de um estilo de vida mais flexível.
  • Atletas profissionais ou que competem.
  • Complicações microvasculares e/ ou fatores de risco para complicações macrovasculares.

Vantagens no uso
Se for usada de maneira adequada a bomba pode:

  • Reduzir o risco de hipoglicemias e, a longo prazo, pode diminuir o risco de complicações decorrentes do diabetes.
  • Melhorar o controle glicêmico e níveis de hemoglobina glicada.
  • Melhorar o controle do chamado fenômeno do amanhecer, responsável pela elevação da glicemia entre as 4 e 8 horas da manhã, minimizando o risco de hipoglicemias graves na madrugada.
  • Permitir maior flexibilidade de horário das refeições.